Como é a língua portuguesa em Angola?
Agualusa é homenageado do IX Fliaraxá. Foto: Fernando Rabelo

Como é a língua portuguesa em Angola?

  • Post category:Notícias

Por mais que haja 10 países no mundo que falam o português oficialmente, com certeza a língua não é a mesma em todos eles. Partindo do Brasil, por exemplo, de norte a sul, as variações linguísticas são infinitas. Agora, imagine quando falamos em termos mundiais!

Como você pode conferir aqui, o documentário “Língua: Vidas em português”, de Victor Lopes, trata exatamente disso. De falantes diversos, com histórias e experiências diferentes, que se expressam na língua e a enxergam de forma diferente.

Por isso, vamos apresentar algumas particularidades de cada país que tem autores participando do IX Fliaraxá e que tem o português como a língua oficial. Por ordem alfabética, começamos por Angola!

Atrás apenas do Brasil, Angola é o país com mais pessoas lusófonas no mundo, de acordo com dados de 2014. São cerca de 29,3 milhões falantes de português. Angola também foi colonizado por Portugal a partir de século XVI. Depois, por um período, no século XVII, pela Holanda. Ou seja, línguas de dois países diferentes que, em contato com os idiomas nativos, resultou no português falado por lá. Aos poucos, a dominação portuguesa foi aumentando e, consequentemente, o idioma se difundiu até se tornar língua oficial.

Línguas nativas

Mesmo o português sendo oficial do país, algumas línguas africanas são faladas por muitas etnias. Um exemplo é o umbundo, falada pelos ovimbundos, uma etnia bantu da região centro-sul de Angola. É a língua étnica mais falada, constituindo cerca de 37% da população.

Em segundo lugar está o kimbundu. É uma das mais relevantes por ser falada de Luanda (capital) a Malange. Além disso, tem a curiosidade de ter dado origem a muitas palavras do português. Algumas delas são: caçula, bazar, cota, batuque, quilombo, quitanda, samba, tanga e xingar.

Dicas

Confira aqui uma fala do mestre em sociolinguística na Universidade Federal de Santa Catarina, Ezequiel Bernardo, sobre as línguas nacionais angolanas e o português. 

Veja aqui algumas diferenças entre o português brasileiro e o português de Angola

E, por fim, cinco palavras que são normais em Angola para não usar no Brasil. As dicas são do youtuber angolano Etiandro. 

Escritores angolanos no Fliaraxá

Os convidados angolanos desta edição do Fliaraxá são Ondjaki e José Eduardo Agualusa. O primeiro participa da mesa “Que gênero é: romance”, em 1.º de novembro, às 18h, ao lado de Afonso Cruz e Lucreia Zappi. Agualusa é o homenageado desta edição ao lado de Conceição Evaristo e conversa com Afonso Borges em 31 de outubro, às 19h.

Acesse aqui a programação completa

SOBRE O FLIARAXÁ

O Fliaraxá foi criado em 2012 pelo empreendedor cultural e diretor-presidente da Associação Cultural Sempre um Papo, Afonso Borges. As cinco primeiras edições aconteceram no pátio da Fundação Calmon Barreto e, a partir de 2017, o festival passou a ocupar o Tauá Grande Hotel de Araxá, patrimônio histórico do Estado de Minas Gerais, edificação construída em 1942. Naquela edição, nasceu também o “Fliaraxá Gastronomia”. Cerca de 140 mil pessoas passaram pelo festival. Mais de 400 autores participaram da programação.

IX FLIARAXÁ  FESTIVAL LITERÁRIO DE ARAXÁ  28 DE OUTUBRO A 1º DE NOVEMBRO DE 2020

Transmissão virtual 24 horas pelos canais:

 www.youtube.com/fliaraxá – Instagram, Facebook e Twiter: @fliaraxa

Informações: www.fliaraxa.com.br

Texto por Jaiane Souza/Culturadoria