Contação de histórias e poesia araxaense marcam manhã do Fliaraxá
Foto Daniel Bianchini/Divulgação

Contação de histórias e poesia araxaense marcam manhã do Fliaraxá

  • Post category:Notícias

A manhã desta quinta-feira, dia 29, segundo dia de Fliaraxá, foi marcada pela abertura da programação infantojuvenil e local. O curador Leo Cunha e o escritor Tino Freitas iniciaram o evento com brincadeiras linguísticas, bate-papo e música.

A manhã infantojuvenil contou ainda com vídeos cheio de brincadeiras, contação de história, além de conversas com Alessandra Roscoe e Paula Pimenta. Já na programação local, teve mesa sobre Calmon Barreto e a poesia araxaense.

Programação infantojuvenil

Às 8h Leo Cunha e Tino Freitas saudaram o público de casa diretamente do Grande Hotel Termas de Araxá. O tema do dia foi misturas. Sendo assim, eles contaram a história e cantaram a música do mascote do Fliaraxá, o Tamanduel. Ainda divertiram as crianças com brincadeiras de aglutinação de palavras e contação de contos. 

Em seguida, às 9h, Leo Cunha bateu um papo com Alessandra Roscoe. Ela é escritora de mais de 40 livros e responsável pelo “Uniduniler Todas as Letras”. Na conversa ela compartilhou história de alguns dos livros que lançou, por exemplo, “Dedé e os Tubarões”, que foi escrito junto com o curador. “É uma alegria partilhar livros, afetos e história. Aproveite o tempo do isolamento e as histórias para fazer coisas junto com quem você ama”, disse Alessandra. 

Às 10h30, Paula Pimenta também conversou com Leo Cunha sobre a produção literária para  adolescentes. A escritora é de BH e criou fenômenos como “Fazendo Meu Filme” e “Minha Vida Fora de Série”. Registrou um milhão de livros vendidos em 2016. Ela deixou três dicas para quem quer escrever. “Escreva sobre o que você conhece, sobre o que gosta e paciência para publicar”. A interação com o público foi feita por meio da leitura dos comentários. 

Entre as mesas com os escritores foram exibidos vídeos inéditos com autores de literatura infantil. Participaram da ação Alexandre Rampazo, André Neves, Jonas Ribeiro, Júlio Emílio Braz, Lucrécia Leite, Luciano Pontes, Mafalda Milhões, Tereza Yashita e Warley Goulart. As produções passaram por leitura de histórias, canções e brincadeiras. 

Confira alguns dos melhores momentos do primeiro dia de Fliaraxá.

Programação local

A abertura das mesas com temas sobre Araxá e região foi 12h30. O multimídia Calmon Barreto foi o assunto do encontro entre José Otávio Lemos, Glaura Teixeira Nogueira Lima e Luiz Humberto França. O artista é patrono local do Fliaraxá. “Calmon era completo. Era um professor que reunia todas as disciplinas e construía o conhecimento por meio do fácil trânsito pelas ciências humanas”, contou Glaura. 

Às 14h, Vilma Cunha Duarte, João Victor Idaló e Rafael Nolli falaram sobre a poesia Araxaense e gerações de talentos. A produção literária em Araxá foi tema amplamente discutido. 

SOBRE O FLIARAXÁ

O Fliaraxá foi criado em 2012 pelo empreendedor cultural e diretor-presidente da Associação Cultural Sempre um Papo, Afonso Borges. As cinco primeiras edições aconteceram no pátio da Fundação Calmon Barreto e, a partir de 2017, o festival passou a ocupar o Tauá Grande Hotel de Araxá, patrimônio histórico do Estado de Minas Gerais, edificação construída em 1942. Naquela edição, nasceu também o “Fliaraxá Gastronomia”. Cerca de 140 mil pessoas passaram pelo festival. Mais de 400 autores participaram da programação.

 

IX FLIARAXÁ – FESTIVAL LITERÁRIO DE ARAXÁ – 28 DE OUTUBRO A 1.º DE NOVEMBRO DE 2020

Transmissão virtual 24 horas pelos canais:

www.youtube.com/fliaraxá 

www.fliaraxa.com.br

Texto por Thiago Fonseca/Culturadoria